Sobre ter uma carta pessoal


Hoje vou falar de um assunto bastante divergente por quem utiliza o Tarot:
ter ou não ter um Arcano Pessoal.



Quem é da turma que discorda, normalmente,  argumenta que é descabido que um arcano possa nos reger por uma vida inteira; já os que concordam, garantem que os significados são tantos que há resposta em uma única carta para cada momento da nossa existência.

Bom, eu faço parte dos que acreditam que é importante, sim, lançar mão dessa carta a fim de manteremos uma conexão mais estreita com ela, principalmente quando utilizamos o Tarot como ferramenta de autoconhecimento.

Então, adotar o "Arcano Pessoal" significa que você vai conhecer uma carta tão intimamente que é possível aproveitar seus aspectos positivos e negativos, com o intuito de utilizar ao máximo essas energias a seu favor. Imagine a seguinte situação: uma pessoa está sempre num ciclo de perdas. As coisas estão indo bem e de repente cataploft! Tudo desmorona. E digamos que a carta pessoal dela seja o Arcano 13, A Morte.

No Tarot, de modo geral, A Morte está ligada ao Renascimento, de um ciclo que inicia. A pessoa que a tem como carta pessoal geralmente é muito frágil sentimentalmente, pois passa por intensos períodos de mágoas e as perdas costumam são constantes. Só que isso é necessário para que o novo aconteça. Sabe aquele clichê de "é preciso chuva pra florir"? É mais ou menos isso.




Porém, quando a pessoa não tem consciência disso se prende àquela situação ruim e se fecha para a oportunidade de viver esse novo ciclo de maneira plena, revivendo uma dor desnecessária, gastando uma energia que poderia ser utilizada para purgar a alma.

Tudo tem um lado bom e um lado ruim e nenhum dos dois dura para sempre. Entendeu? Conhecer teu Arcano, saber as energias boas e as ruins dele, vai te possibilitar extrair o melhor pra tua vida, vai ensinar como lidar com situações complicadas e até com as simples também.

Mas, como saber qual a nossa carta pessoal?


Existem muitos métodos para descobrir o seu Arcano Pessoal e o mais famoso deles inclui a numerologia. Através da soma e/ou redução chegamos a um determinado número que corresponde a uma carta. Funciona da seguinte maneira: há de se somar os números do dia, mês e ano do seu nascimento e o resultado obtido deve ser reduzido até um número menor ou igual a 22 (número das cartas dos Arcanos Maiores do Tarot), por exemplo:

Helena nasceu no dia 14 de janeiro de 1994
14 + 01 + 1994 = 2009 = 2 + 0 + 0 + 9 = 11
A Carta Pessoal de Helena é número 11, A FORÇA.
(Se der maior que 22 deve-se somar a dezena: 23 ficará 2+3=5, O Papa)

Embora esse seja o método mais utilizado, ele não é o único. Há quem descubra por sinais (sonhos, pistas), por tiragem, meditação, por intuição... Essa última foi a minha forma de saber qual é a minha carta, a intuição. Isso não aconteceu de uma hora para outra; lembro que fiquei muito em dúvida entre ela e A Estrela, mas, finalmente, depois de muito estudo se confirmou: A Lua é a minha carta pessoal.

Essa não é uma carta dita positiva, principalmente pelo seu lado sombrio, misterioso, intuitivo e por, na maioria das vezes, não dar respostas precisas. Esse Arcano, que significa "Ilusões" de maneira geral, me conta que preciso sempre me precaver contra energias negativas e de baixa densidade, além das inúmeras decepções (algumas pessoas são mais propensas que outras) que podem surgir ao longo da minha trajetória.

A Lua carrega muitas dúvidas, incertezas e dificuldade de discernimento, porque pelo menos uma parte da situação estará sempre escondida nas sombras da noite e do mistério. Mas, através dela pude saber o motivo de vários setores importantes da minha vida serem sempre cercados de dificuldades e de como eu poderia agir nesse sentido.

Só que como disse antes, há as partes boas também. Tenho dons artísticos e uma essência feminina muito forte. Possuo habilidades que podem ser potencializadas nessas áreas e isso me conta no que vale a pena investir minha energia. É aquela máxima, as coisas não são como queremos, mas como precisamos. 

Finalmente, te asseguro que os motivos para adotar um Arcano Pessoal podem ser diversos, mas o maior deles é mesmo a elevação espiritual. Através dela poderemos cuidar da nossa individualidade, do nosso eu tão sagrado, poderemos ser a nossa melhor versão no mundo. Ter uma carta como suporte é fantástico.

E você, acha legal ter um Arcano pra chamar de seu? Me conta nos comentários!
📸 Lisa Boswell (imagem destaque)

Fase da Lua hoje: Nova 🌑



Todos os Direitos Reservados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário