Você pode ser o que quiser ou sobre não precisar de ninguém para existir


Dia Internacional das Mulheres 2019

Pensei em mil coisas para escrever, porque o que eu desejo é que você se sinta abraçada.


Assim, começarei questionando porque não podemos apenas ser, ter as nossas próprias histórias e escolhas? Aliás, porque isso nos é negado a todo momento?

A resposta é simples: quando somos, conscientes de nós mesmas, seguras e no controle, estamos, na verdade, afirmando: tenho direito ao poder original de ser completa e independente, de ser livre da teia do domínio e da omissão. Estamos dizendo, em alto e bom tom, que, em um mundo onde somos vistas sempre como a esposa, a mãe, a filha ou a irmã, não precisamos de títulos para existir como pessoa

Ou seja, seres de segunda classe se dizendo iguais. Percebe o impacto disso numa sociedade patriarcal?

Só que não somos seres de segunda classe e vamos botar abaixo essa estrutura, mesmo que a duras penas.

Sofremos todos os dias, mas, sobretudo, morremos. Mortes reais, porque eles estão nos matando. Morremos em casa, morremos na rua, nos nossos empregos. Morremos apenas por ser. E isso me apavora. Quantas mais morrerão?




Mas, esse pavor não me paralisa. E não deve te paralisar também, pois sempre tivemos de lutar e no 8 de março não há exceção. Imagina se conseguíssemos criar uma timeline das nossas lutas? Tenho certeza que essa data remontaria a um momento muito anterior ao século 19.

Viria antes mesmo deles nos apedrejarem e nos queimarem vivas, de nos proibirem de trabalhar e de votar, de nos silenciarem de todas as formas, de violentarem nossos corpos e nossas almas. Seria marcado, então, para o instante em que pisamos essa Terra e começarmos a luta para ser.


"Não se nasce mulher, tornar-se mulher."
(Tradução para a célebre frase "On ne naît pas femme, on devient femme",
com a qual Simone de Beauvoir começa o volume 2 do livro O segundo sexo, de 1949).

Eu sei que você está cansada, mas, por favor, não desista!


As raízes do Dia Internacional da Mulher são antigas, profundas, dolorosas e sangram até hoje. Estamos exaustas. Então, não se culpe por recusar as flores ou os parabéns de quem em todos os outros dias nos ridiculariza, nos oprime e nos mata na tentativa de nos impedir de ser.

Com isso não estamos invalidando esse dia que tem uma importância histórica indiscutível e que levanta problemas que não foram resolvidos até hoje. A desigualdade de gênero permanece até hoje. E é por isso que eu te peço: não desista, pois você não está sozinha
Porque, mesmo que não pareça, estamos avançando. Somos únicas. Por isso,  aprenda a se amar, a se cuidar e a se proteger. Ensine os seus filhos, se os tiver, que somos. Talvez isso signifique desconstruir e combater um pai machista. O fardo é pesado, eu sei, mas é assim que mudamos o mundo. E quando sentir que conseguiu, ensine outras mulheres que ainda não conseguiram. Somos nós por nós, não esquece.

Por fim, não importa o que eles digam ou façam, nós somos e continuaremos a ser. Por isso, o meu conselho para todas nós é:

Vamos viver! Viver é um ato político. Comer coisas saborosas, beijar, abraçar, dançar, relaxar, viajar, pular, dormir, acordar cedo, correr, voar, cantar, trabalhar, ficar linda, usar roupas confortáveis, admirar a natureza, aproveitar e, acima de tudo, ser o que quisermos ser!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário